Por que
retirar o
art.42 da
PEC 287/2016?

Símbolo da Campanha Bombeiros Pedem Socorro, uma máscara de gás com machados cruzados em formato de x

*O Art. 42 da Constituição Federal institui a PM e o CBM.

*A PEC 287/2016 faz a reforma da previdência, os militares estatuais estão incluídos erradamente.

Os dados apresentados neste site referem-se
a todos os Bombeiros Militares do Brasil.

  • Todos os ingressantes no Corpo de Bombeiros entram jovens e passam pelos mais rigorosos testes físicos (plena saúde física e fortes). Testes psicológicos (plena saúde mental) e testes morais (sem vícios).

    Fonte: Lei federal 12.086/09.

  • Militares têm pensões e contribuem a vida toda. Eles não têm Previdência, nesse caso o INSS não se aplica.

    Fonte: CF 1988.

  • Dos 34 direitos trabalhistas constitucionais, os bombeiros militares só têm 6 deles.

    Fonte: CF 1988.

  • Os Bombeiros Militares juram arriscar a vida pelo próximo, muitos morrem ou machucam cumprindo o juramento.

    Fonte: Lei federal 7479/86.

  • 63% dos bombeiros têm ou terão câncer pelo contato com substâncias tóxicas.

    Fonte: San Francisco Firefighters Cancer Prevention Foundation, 2016.

  • Bombeiros e Policiais têm 50% mais chance de ter infarto e AVC.

    Fonte: PMESP, 2016.

  • Bombeiros vivem em média só 4,7 anos depois que vão pra reserva (depois que "aposentam") - Média de idade dos mortos.

    Fonte: Pesquisa Curso de Altos Estudos, Lisandro Paixão, CBMDF, 2010).

  • Todos Bombeiros Militares com mais de 10 anos de serviço já tiveram algum nível de contato com secreções em ocorrências, muitos adquiriram doenças. Em 30 anos um socorrista pode ter visto mais de 1000 mortes.

    (Dados de doentes em decorrência de serviço não isolados em pesquisa).

  • Mais de 70% dos bombeiros vão pra reserva com dificuldades psicológicas/psiquiátricas.

    Fonte: Centro de Assistência BM, DF, 2013.

  • Existem especificidades na profissão militar sem similar no meio civil, com regras de dedicação e comprometimento inigualáveis, além de restrição de direitos sociais e políticos, que levam ao mundo a acreditar serem suficientes para sistema de pensão separado (exceção somente em 7 países).

    Fonte: FGV, 2016.

Assinar a petição

Ministro
Raul Jungmann
fala sobre a
previdência social
dos militares

Assinar a petição

Os Governos Estaduais e Federal usam o dinheiro arrecadado com as pensões para outros fins, depois reclamam na hora de saldar a dívida.

  • Caso o Corpo de Bombeiros administrasse o dinheiro pago nas pensões, seria suficiente para pagar mais de 100 anos para cada reservista (aposentado).

    Fonte: Pesquisa Interna, Alessandro Gomes, CBMDF, 2016.

  • Como os governos gastam o dinheiro, afirmam que há uma despesa que na verdade não deveria existir, pois a arrecadação se investida seria superavitária.

    Fonte: Diretoria de Inativos e Pensionistas do CBMDF, 2016.

Assinar a petição

Os Bombeiros
Militares e
os Policiais Militares
possuem uma
missão especial

Assinar a petição

Essas são as injustiças
que estão tentando fazer
com os bombeiros na PEC 287:

  • Separar: Bombeiros militares com menos direitos que os demais militares;
  • Errar: Aplicar regras de Previdência aos Bombeiros Militares que contribuem a vida toda com pensão;
  • Acabar com a integralidade: (parâmetro militar mundial): na prática irá diminuir o salário na Reserva em torno de 40%;
  • Acabar com a paridade: (parâmetro militar mundial): na prática haverá reposição salarial diferente para ativos e inativos;
  • Prolongar demais: Colocar idade mínima para reserva muito alta para quem entrega toda a juventude à sociedade e para um serviço que exige vigor.
Assinar a petição

30 anos
de serviço
Bombeiro Militar
parece pouco,
mas não é

Assinar a petição

Princípio da Equidade de Aristóteles

  • Militares no Brasil já têm pouquíssimos direitos trabalhistas, civis e políticos, nem mesmo têm o direito de reclamar ou fazer greves.

    Fonte: Extrato de pesquisa, FGV, 2016.

  • As Forças Armadas (incluindo as Polícias Militares e os Bombeiros Militares) são instituições permanentes de Estado, que exigem requisitos que extrapolam meras relações trabalhistas entre empregador e empregado e caracterizam a essência da profissão militar: servir à Nação, sem nenhuma contestação. Essa relação da sociedade com os seus militares é uma espécie de “contrato social”, no qual fica acordado que as restrições de direitos – às quais aderem os militares – são recompensadas com a devida proteção social que lhes confere a Nação.

    Fonte: General Villas Bôas - Comandante do EB ao Jornal Estadão (4/fev/17).

Assinar a petição
Infográfico mostrando o Corpo de Bombeiros em primeiro no ranking de qualidade dos serviços públicos

Por que destruir o melhor serviço público do Brasil?

Assinar a petição

Notícias